Primeiro single criado no Clubhouse, “Bala na Bolsa” é nova faixa de Lukinhas

Faixa é um pop urbano com produção dos Dogz Pablo Bispo e Ruxell, e traz ainda as vozes das artistas Cammie, Jenni Rocha, Safí e NYNA

Antecipando tendências, o Inbraza e a Som Livre saem na frente mais uma vez. Com lançamento marcado para esta sexta-feira, 05 de março, “Bala Na Bolsa” é a primeira música idealizada e criada ao vivo no Clubhouse, aplicativo de salas de conversas de áudio em tempo real. Em um encontro despretensioso na nova rede social do momento, os produtores Pablo Bispo e Ruxell e o artista do Inbraza, Lukinhas, encontraram um time feminino de peso formado por Cammie, Jenni Rocha, Safí e NYNA, jovens nomes exponenciais na cena urbana. E desta sala musical saiu a composição e a produção ao vivo de “Bala Na Bolsa”- ouça aqui .

Com uma sonoridade pop urbana, os vocais femininos são os protagonistas em “Bala Na Bolsa”, que carrega uma letra cheia de rimas e atitude composta pelo seu time de mulheres. Já Lukinhas entoa todo o potencial de sua voz no refrão, que ganhou um ritmo mais melódico, característico do cantor, nos versos “Grana no Bolso / Bala na bolsa / Essas mina tão tão tão ficando louca / Pisando em Gucci / Bala na bolsa / Essas mina tão tão tão ficando louca”.

“Foi incrível e inovador. Não me recordo de ter escutado outro som neste formato. As meninas representaram demais! Além de, claro, ser a primeira música feita quase que totalmente no Clubhouse. Rapidinho peguei o ritmo e saiu essa bomba aí, rs. Estou muito ansioso para o lançamento e as expectativas são as melhores possíveis”, conclui Lukinhas .

Sobre a inversão de papéis proposta na música, Safí opina orgulhosa: “‘Bala na Bolsa’ é inovação, é o poder feminino em destaque. As minas cantam muito e tem punchline de sobra. A gente quebrou a ideia de que mulher tem que estar no refrão, ou só fazer as dobras e melismas para a parte dos homens. É talento que transborda, por isso, nada mais justo do que quando o Lukinhas diz: ‘essas mina tão ficando louca’”. Ao que Cammie complementa: “Eu, que vim do hip hop e sempre cantei e rimei, passei por diversas situações em que os caras sempre pediam pra eu cantar os refrões – e eu amo cantar refrão -, só que nesses casos eu sabia que meus versos poderiam ser tão incríveis quanto os dos caras. Acho que isso é buscar o protagonismo e deixar as mulheres falarem”, decreta a ela.

O produtor Pablo Bispo explica que o single foi criado com o intuito de subverter o conceito tradicional do gênero pop urbano, onde a voz masculina faz parte da rima com mais atitude e a voz feminina entra no refrão melódico. Em “Bala Na Bolsa”, as mulheres estão em maioria e como elemento de potência da faixa. “Isso foi a primeira coisa que eu pensei que gostaria de fazer, porque normalmente é ao contrário, com os rappers homens cantando os versos – falando o quanto são fodas, têm dinheiro e ostentam -, enquanto as mulheres ficam com o refrão. Veio cada uma com sua autenticidade, característica, sua verdade – e é muito importante isso, sempre aconselho a pregar a verdade do artista, do lugar de fala principalmente. E o Lukinhas cantando o refrão, falando que elas eram incríveis, e todas aprovando juntas e se sentindo à vontade”, conta Bispo.

Para Fernanda Bas, Head de Comunicação da Som Livre, o lançamento reforça o posicionamento de marketing da gravadora, de estar sempre alinhado aos novos movimentos do mercado. “Antecipar tendências e acreditar na liberdade para inovar fazem parte do DNA da Som Livre. E ter o pioneirismo num lançamento que nasceu dentro do Clubhouse é o perfil do Inbraza, um selo jovem e aberto a diálogos diversos. À medida que uma plataforma começa a concentrar audiências relevantes, ela entra no nosso radar como oportunidade de um novo canal de contato com potenciais consumidores. Acreditamos em projetos que usam de diversos recursos e meios digitais para expandir a distribuição e alcance do conteúdo como método decisivo para o sucesso do nosso negócio“, declara.

Ruxell destaca a faceta do Clubhouse, que dá a oportunidade de agregar pessoas e diminuir espaços entre artistas, compositores, CEO’s da indústria fonográfica, público, fãs e etc. Sobre a iniciativa, ele diz: “Foi muito bom e natural ao mesmo tempo. Mesmo em tempos pandêmicos, com o nascimento do Clubhouse, foi muito positivo para nós que vivemos de música e para quem quer viver também. Essa troca de ideias e conhecimento foi muito enriquecedora para todos e fico feliz de conseguirmos passar isso no som!”.

Para Jenni Rocha, a experiência de compor no aplicativo foi surpreendente. “À medida que ia acontecendo parecia que estávamos juntos no mesmo lugar físico! Foi uma experiência muito rica e que mostrou mais uma vez como as redes sociais podem unir e fazer com que nós, artistas, criemos juntos e cresçamos juntos”, afirma ela. NYNA destaca ainda outra vantagem de criar a faixa no Clubhouse: “Foi uma maneira de compor enquanto estou no meu universo particular, onde me sinto bem à vontade, e ao mesmo tempo trabalhando em conjunto com artistas incríveis”.

Bala Na Bolsa” já está disponível em todas as plataformas de música pela Som Livre, através do Inbraza, selo em parceria com a Liga Entretenimento, que leva a assinatura dos Dogz, trio de produtores formado por Pablo Bispo, Sérgio Santos e Ruxell.
 

Sharing is caring!

Deixe uma resposta