Como o álbum “Nevermind” do Nirvana sacudiu o mundo

Nevermind do Nirvana - lançado há 30 anos - ofereceu uma saída subversiva para um público global, escreve Arwa Haider, que descobre seu impacto em pessoas de países como Brasil, Polônia e Japão. Por Arwa Haider Trinta anos após seu lançamento, o álbum Nevermind, do trio de rock de Seattle, Nirvana, mantém um poder evocativo. Quando ouço suas notas de abertura, sou levado de volta a uma festa de adolescentes no subúrbio de Londres; naquela sala escura, eu podia sentir guitarras e máquinas lutando por minha alma. Fiquei emocionado com os sons de Nevermind, mas como uma jovem obsessiva por música (que por acaso também era uma britânica muçulmana iraquiana), me senti marginalizada pela cobertura da imprensa em torno do álbum e pela florescente cena

VIPER lança nova versão remasterizada de ‘VIPER LIVE – Maniacs in Japan’ com bonus tracks inéditas

Lançamento nas plataformas digitais e em CD digipack pelo selo Wikimetal traz canções como ‘The Spreading Soul’ e ‘Prelude to Oblivion’ Um dos shows mais lendários da história do heavy metal brasileiro está disponível novamente em CD e, pela primeira vez, em todas as plataformas digitais. O álbum “VIPER Live - Maniacs in Japan” foi gravado em 18 de junho de 1993 em Tokyo durante o encerramento da turnê mundial “Maniacs on Tour 92-93”, que passou pela Europa, Japão e América do Sul. Essa versão remasterizada traz bonus tracks que nunca haviam sido lançadas antes. Entre elas, há uma versão de “The Spreading Soul” onde a banda toca a introdução de outro clássico, “Moonlight”. Há ainda “Prelude to Oblivion” e “H.R.”,

Matheus Coringa lança single ‘Maldito Nirvana!’ com sampler do Nirvana

Matheus Coringa sempre chama atenção por sua ousadia, originalidade e sua busca incessante de fazer algo fora dos padrões. No sábado (8) Matheus nos surpreendeu positivamente com o single “Maldito Nivarna” no qual sampleou nada mais nada menos que a música “Come as you are” do Nirvana, grupo ícone do movimento Grunge nos anos 1980. Mais que isso, fez uma letra influenciado pelo gênio kurt Cobain. Matheus falou um pouco sobre o processo de criação do single. – Escrevi a letra na madrugada do dia 07 pra 08 depois de algumas observações e questionamentos com o meu presente e o beat eu tinha feito esses dias só de experiência porque eu sou muito fã do nirvana e nunca tinha me atrevido