Recorte Social como instrumento de segmentação

Cleo

Por Cléo Silveira

Acredito eu, que diferente do que é passado por muitos militantes, que o racismo é toda e qualquer forma de opressão, seja ela de etnia, classe, gênero e etc.. Todas as outras opressões estruturam essa opressão maior, que é o racismo e uma vez que opressão qualquer que seja é o mesmo que bullying, o racismo (como ação individual) é nada mais, nada menos que bullying.

Pessoas brancas, sofrem sim, bullying, portanto sofrem racismo.. Obviamente, não como os negros, obviamente existe um recorte, recorte tal, que eu vejo como algo que se usado de forma maliciosa, fomenta muito mais as opressões, pois, ao mesmo tempo que se observa uma disparidade de poder, social, politico e econômico entre negros e brancos, se observa uma disparidade de poder social politico e econômico entre brancos e brancos e por fim se observa uma disparidade de poder social politico e econômico entre negros e negros.

O recorte é fundamental, porém precisamos ter um olhar frio, sobre essa questão, pois ao mesmo tempo, que dá lugar de fala, abre espaço, inclui, invisibiliza, segmenta.

Vejo brancos oprimindo negros, vejo brancos oprimindo brancos, vejo negros oprimindo negros, vejo héteros oprimindo gays, vejo mulheres magras oprimindo mulheres gordas e etc..

E a questão é, o recorte, que é algo importantíssimo dentro da militância, tá servindo á quais interesses?

Cléo Silveira é Estudante de Ciência Política na Unirio, Militante, Professora, Articulista, Compositora e Mc.

2 thoughts on “Recorte Social como instrumento de segmentação

  1. Acho que você deveria, antes de escrever um artigo, pelo menos procurar o sentido da palavra no dicionário e não construir seu texto com base em “achismo”. O racismo é definido por ser um conjunto de teorias e crenças que estabelecem uma hierarquia entre as raças, entre as etnias ou a doutrina ou o sistema político fundado sobre o direito de uma raça (considerada pura e superior) de dominar outras. Nesse sentido, não é só um bullying que uma criança sofre na escola que caracteriza o racismo. É um conjunto de experiências sociais que uma pessoa sofre por conta de uma crença de que tal “raça” é melhor do que a outra. Brancos não podem sofrer racismo dentro de uma sistema que privilegia a hegemonia branca, pois, mesmo que um branco seja “xingado” de “palmito” por um negro, o branco não se sentirá mal por ser branco, porque o privilégio que ele tem na sociedade faz com que ele sempre se sinta superior às outras etnias, o que não acontece com o negro, que já é estigmatizado (segundo o imaginário racista social, o negro fede, é feio, é preguiçoso, é ladrão etc).

Deixe uma resposta