SARAUS E MC’S DAS PERIFERIAS PAULISATANAS SE REUNEM EM PROL A MANIFESTAÇÃO ÁS MÃES DE MAIO NA ZONA NOROESTE DE SANTOS.

Por Denise Bergamo

À Véspera do dia das mães, na Praça da Paz Universal, localizada na zona noroeste de Santos (Litoral Sul Paulista) foi executada a manifestação dos seis anos de resistência do movimento também de resistência “Mães de Maio”.

O motivo da manifestação ser realizada em Santos é devido ás mortes de jovens de suas periferias por “agentes policiais, paramilitares e grupos de extermínio. que seguem praticando execuções sumárias, prisões abusivas e até mesmo toques de recolher pelas periferias á fora, sobretudo na Zona Noroeste da Baixada”.

Em reposta a truculência destes grupos que desrespeitam os moradores e promovem uma onda de terror, o movimento “Mães de Maio” convocou saraus e músicos das periferias da cidade de São Paulo para a militância cultural.

“Os grupos de Rap e Música Popular (Anexo Verbal, Cientistas MCs, Família Ducorre, Guerreiroz do Capão, Versão Popular e Yzalú), Saraus Periféricos de São Paulo (da Ademar, Brasa, Casa, Elo da Corrente, Marginaliaria, Mesquiteiros, Perifatividade e Vila Fundão), e outras Redes de Luta (Rede Contra Violência – RJ, Rede 02 de Outubro, Rede Nacional de Familiares de Vítimas do Estado) que se somarão a nós e nossas organizações parceiras da Baixada Santista (Educafro, PROCURU – Projeto Cultura de Rua, o Movimento Sindical de toda Baixada, a Rádio da Juventude, a Igreja).” Estiveram presentes para somar e combater a violência com cultura. Em todo o ato, a polícia passou algumas vezes, ao longe e observando, e a prefeitura omitiu qualquer auxilio á manifestação.

No chão da praça cruzes e fotos com os nomes, a idade e data de óbito das vítimas, entre elas uma jovem grávida de nove meses.

Depois de muita poesia e música em solenidade ás mães e aos jovens mortos, um ato simbólico em homenagem á todas as vítimas da retaliação dos policiais. Em círculo, todos os coletivos receberam um balão de gás hélio amarrados pelas fotos dos jovens mortos, soltos ao ar depois de um dia inteiro de muita paz, confraternização, e discursos das mães que sofrem a perca irreparável de seus filhos. Em roda um “Pai Nosso” e o encerramento da manifestação.

O caso ainda está em processo de investigação pela polícia, mas para as mães destes jovens não há dúvidas sobre a retaliação destes grupos que citamos á cima. O que vimos em 2006 se repete agora na periferia do litoral sul do estado de São Paulo e o mesmo processo que as periferias paulistanas realizaram para reverter o cenário de violência, foram usados no dia 12/05/2012, calando estes grupos facínoras com a “cultura de paz”. Usando como armas: livros, violões, o grito e a união das periferias.

Para saber mais sobre as “Mães de Maio” e a chacina na baixada santista:
http://maesdemaio.blogspot.com.br/

Denise Bergamo é habilitada em literatura portuguesa, trabalha na Secretaria de Educação de São Paulo e é colaboradora do Polifonia Periférica

Assista ao vídeo e entenda o que é o movimento de resistência “Mães de Maio”

Deixe uma resposta