UM MOMENTO DE REFLEXÃO no Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher

Por Edd Wheeler

Em 25 de novembro de 2011 avalio qual o ganho que as mulheres alcançaram no COMBATE A VIOLENCIA DOMESTICA?

Parece-me que as ações transcendem uma lei que nos guarde, delegacias especializadas ou organizações que nos conscientizem do estrago que é feito quando prestigiamos a violência física,emocional (psicológica),verbal e sexual.

Há um fantasma maior que se instalou em nossas mentes e que move qualquer raciocínio lógico: a moral de uma sociedade.

A violência doméstica é um problema universal que atinge milhares de pessoas, em grande número de vezes de forma silenciosa e dissimuladamente atingindo milhares de crianças, adolescentes, e mulheres. Ressalto também que não excluo do rol de prejudicados, os homens.

Acometido a ambos os sexos, a violência domestica não costuma obedecer nenhum nível social, racial, econômico, religioso ou cultural específico, como poderiam pensar alguns.Mas fato é, que toda a sociedade com mentalidade machista não vislumbrava mulheres em pé de igualdade com homens tanto em maturidade intelectual e financeira.Cabia-nos a submissão e não contrariar o que era dito.A falta de argumento e sensibilidade para com ser humano faz com que a reação contraria a critica pré constituída,avance para outra parte de modo agressivo,depreciativo e muitas das vezes com extinto assassino.Tudo em nome de um amor desmedido,inconseqüente ou avassalador.

E em um determinado marco, onde parto do princípio que a historia de MARIA DA PENHA foi o estopim para tirarmos a mordaça e gritarmos por ajuda, caminhamos para redescobrir nossa auto estima, nos valorizar e lembrar que em primeiro lugar devemos nos amar e amaremos com dignidade toda a humanidade.

A invasão de sentimentos quando se experiência a violência é de humilhação, de condenação e de interpretar nossa incapacidade de manter a família unida e satisfazer o marido ou companheiro.

Lidar com este fantasma é o sucesso para percebermos que em que momento essa loucura deixa de ser um

Edd Ewheeler

relacionamento e passa ser um atentado. E cabe-nos erguer a cabeça e denunciar a hipocrisia dos ditos morais criados pela sociedade. Há que demonstrar a nossa transformação. Há que revitalizar e reconstruir uma sociedade onde homens e mulheres são indivíduos com vontades próprias e que o respeito é aliado da convivência a dois.

Cinco anos após a Lei, a caminhada e os questionamentos do que pode ser acrescentado não pode morrer emplacamos mais de 300 mil processos abertos,  promulgada mais de  100 mil sentenças e em media mais de 1.500 prisões em flagrantes.Sabemos que é pouco ,não temos noção de quantos lares brasileiros são atormentados por essa covardia,mas entendo que nesta guerra seremos protagonistas sobre nossas próprias crenças,atitudes e preconceitos.

Edd Wheeler é rapper, advogada, integra o grupo “Rap da saia” e é presidente da “Frente Nacional de Mulheres no Hip Hop”

Facebook:Edd Wheeler
e-mail:edd_wrj@hotmail.com
portifólio:www.myspace.com.br/eddwheeler
Portal: www.mulheresnohiphop.com.br

2 thoughts on “UM MOMENTO DE REFLEXÃO no Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher

  1. Espero que a materia ecoe por todo o Brasil.
    Obrigada pelo credito e responsabilidade e lançar nossa marcha!!O tempo não pára!!!

    1. Obrigado Edd pelo belíssimo artigo. A luta é de todos aqueles que desejam uma sociedade mais humana e com igualdade.

Deixe uma resposta