Kaê Guajajara une rap e lutas de indígenas favelados em show na Casa das Caldeiras

Apresentação lança álbum “Kwarahy Tazyr” Cantora, rapper, compositora, escritora, atriz, arte educadora e ativista. Muitos são os adjetivos para descrever Kaê Guajajara. A multi artista faz de sua obra uma oportunidade de mais pessoas indígenas se reconhecerem fora da identidade colonial, e também oferece aos brasileiros um caminho para a empatia com os povos originários, que denunciam continuamente o racismo e a exploração que sofrem. É isso que ela faz em seu recente álbum “Kwarahy Tazyr” e que ela trará para os palcos, para a primeira performance do projeto no dia 19/12, na Casa das Caldeiras, a partir das 19h30. Ao vivo, Kaê fará do show um verdadeiro ritual e celebração com uma forte performance de palco da artista acompanhada pela DJ

Kaê Guajajara dá voz às lutas de indígenas favelados em “Kwarahy Tazyr”

Artista reflete a realidade atual dos povos originários marginalizados pela opressão em primeiro álbum visual indígena Uma visão atual e afiada sobre a realidade dos povos indígenas no Brasil é amplificada no álbum “Kwarahy Tazyr”, novo trabalho da cantora, rapper, compositora, escritora,  atriz, arte educadora e ativista Kaê Guajajara. A multi artista faz de sua obra uma oportunidade de mais pessoas indígenas se reconhecerem fora da identidade colonial, e também oferece aos brasileiros um caminho para a empatia com os povos originários, que denunciam continuamente o racismo e a exploração que sofrem. As letras de “Kwarahy Tazyr” servem como provocações e questionamentos de uma visão dominada pelo homem branco. Kaê Guajajara não se coloca como vítima do sistema, e sim como parte