Chico Tadeu E Zé Bigode Orquestra Fazem Shows Memoráveis Em Madureira

Madureira, terra de samba e charme, é também um território aberto a diversidade musical. No ultimo sábado (6) o democrático Parque de Madureira, com seus tradicionais espaços de samba, abriu seus portões para o jazz, rap, soul, MPB e reggae levado ao palco da Arena Fernando Torres por Chico Tadeu e a banda Zé Bigode Orquestra.

A banda Zé Bigode Orquestra abriu a noite com um belo tributo ao mestre Bob Marley fazendo uma linda releitura do memorável álbum “Exodus” do rei do reggae lançado em 1977. Para interpretar as canções a banda se uniu a talentosíssima Luciane Dom, que deu um toque todo especial com sua potente voz e seu timbre de voz balsâmico. Por outro lado, a Zé Bigode Orquestra agraciou o público com instrumentais impecáveis no nível do mestre Bob Marley e que mostram a qualidade da banda. 

Os artistas alternaram canções do Bob Marley com músicas autorais da Zé Bigode Orquestra, que vão do Afrobeat ao Rap, passando pelo Jazz, soul e ritmos latinos resultando numa mistura sonora extremante agradável aos ouvidos como também rica em diversidades. Um trabalho musical polifônico, eclético que não tem como passar despercebido.

Antecedendo o show de Chico Tadeu, DJ Teco, um dos maiores Dj da cena do rap nacional, assumiu as Pick Ups e dando um show de discotagem, fez uma maravilhosa session com clássicos do rap nacional e aqueceu o público preparando a atmosfera para a próxima atração da noite da qual ele iria fazer parte.

Com o publico já envolvido na vibe positiva deixada por Dj Teco, Chico Tadeu sobe ao palco para mostrar as canções do seu excelente álbum “O Estado Crítico” em versões orgânicas. Tadeu subiu ao palco acompanhado de uma super banda formada por Davidson Ilarindo na Bateria (Músico mais antigo que toca com o Chico, há 6 anos), Daniel Bento no Contra baixo (substituiu nessa apresentação o baixista oficial Ébano Machel), Marcelo Wilkes no Teclado (o responsável por colocar os timbres parecido com o disco), Jonas Mattoso na Guitarra (A alma rock da banda) Dj Teco nas Pick Ups (A alma hip hop da banda).

Tadeu apresenta um show com releituras primorosas das suas canções que se transformam e ganham novas vidas e corpos com arranjos caprichosamente criados para levá-las para outra dimensão. As combinações do teclado com a guitarra em vários momentos criam uma atmosfera psicodélica com uma sonoridade sombria que nos remetem ao pós-punk dos anos 80. Jonas Mattoso surpreende com rajadas de acordes distorcidos e solos dilacerante na guitarra. A bateria e o baixo ditam e equilibram o ritmo com muito swing e punch. É a pulsação da banda. As sonoridades dos instrumentos são atravessadas de forma brilhante pelos riscos mágicos do DJ Teco, que faz um trabalho lindo. Tudo isso aliado ao um belíssimo trabalho de voz de Chico Tadeu que cria uma textura que se funde perfeitamente com o instrumental.

O show é uma viagem de ritmos que passa pelo rock em “Kairós”, ‘Zé Maria” e “Ahimsa”, pelo reggae em “Trem da Norte”, pelo samba e jazz em “Toda Malandragem”, ou pelo funk contagiante de “Baile do Viaduto”. Tudo muito bem arranjado e executado por artistas virtuosos.

Tadeu reservou parte de seu show para reverenciar algumas de suas referencias musicais ao cantar o samba-rock de Bebeto na linda música “Minha Preta” e  o maravilhoso funk/soul de Tim Maia na maravilhosa “Bom Senso”. E não podemos esquecer-nos do trechinho de “Samurai” de Djavan. Todas as musicas executadas de forma divina reverenciando os autores e mostrando a versatilidade e talento de todos envolvidos. Vale ressaltar a desenvoltura e expressão corporal de Chico Tadeu interpretando as canções de forma potente e emocionante.

Podemos resumir a noite como sublime, memorável que merece bis, pois deixou o gostinho de quero mais. Muito mais.

Deixe uma resposta