Projeto Grafitando a Favela em ação

A favela do D’avó, como é conhecida, existe desde meados dos anos oitenta. Pelos relatos dos moradores que estão ali a mais tempo, chega-se a o primeiro morador da favela, ou seja, seu fundador: O seu “Zé da água”, infelizmente falecido. Os problemas enfrentados pelos moradores sempre existiram desde a época do esgoto no quintal, graças ao esforço de muitos já superado, até as constantes falta de água e de energia elétrica que perdura até hoje por omissão do poder publico. O lugar também carece de projetos e iniciativas educacionais e artísticas para os jovens e crianças que sem opção estão cada vez mais vulneráveis ao poder das drogas. É indispensável o resgate destes seres que precisam de ajuda!

O projeto tem como objetivo realizar exposição de artes plásticas contemporânea (graffiti) nos corredores da favela situada no bairro do Itaim Pta. Av mal. Tito , 3097 atrás do D’avó supermercados, ao lado do Viaduto da China. Além do graffiti haverá declamações de poemas por parte dos moradores e poetas convidados; apresentações musicais com bandas de reggae, rap, entre outros estilos; discotecagem de um DJ; microfone aberto para improvisos. Com o intuito de propagar a arte como um viés social, quebrar paradigmas consensuais enraizados no cotidiano da população, o evento traz um novo olhar para o lugar, ou seja, os próprios habitantes ou quaisquer transeunte (que por qualquer motivo, razão ou circunstancia esteja em transito pelo local) passarão a conviver com um novo cenário. E o mesmo cenário tem como função explicitar cores e formas em infinitas possibilidades imagináveis no cotidiano opaco e desesperançozo da metrópole desigual. Acreditamos na mudança pela via revolucionaria. A revolução está aí como o sol na janela a nos iluminar e nos mostrar a direção pra a luz, pra vitória… E esperamos que a arte como um todo seja compartilhada e disseminada pela população.

 

One thought on “Projeto Grafitando a Favela em ação

  1. Muito obrigado Denise por compartilhar boas idéias! Parabéns pra todo mundo do polifonia periférica pela grandiosa iniciativa! Vida longa a atitudes do tipo! É nóis por nós!

Deixe uma resposta