A voz da razão – Dudu de Morro Agudo

Por Dudu de Morro Agudo

Minha imaginação flui, me confundo com amizades, (sinceras ou não? Quem sabe?), Acreditei, decepcionei-me, brincadeiras de mal gosto, racismo, pensar que sua raça é superior a minha, nenhuma raça é superior a outra, existem diferenças sociais, existem pessoas mais cultas perante a sociedade, isto é, pessoas que tiveram condições de concluir seus estudos, coisa que poucos negros conseguem devido a desigualdade social que existe em nosso “querido pais”. Sou negro, inteligente, sou o que eu quiser ser, eu faço minha cultura, não me enquadro no padrão de beleza europeu, utilizado no Brasil, não sou o tipo galã que eles passam na TV, não pratico “MALHAÇÃO”, nem passo gel  no cabelo pra parecer mais com esse ou aquele artista, não sou mulato, nem pardo, muito menos moreno claro, sou negro, afro-brasileiro, cuspo palavra ofensivas pra maioria dos burgueses, sou assim, não creio que todos os negros sejam conscientes, mas ainda não posso exigir muito de quem tem pouca formação acadêmica e cultural e absorve o que a programação lhes oferece, são rajadas de mentiras para o subconsciente, nos forçam a viver em um mundo de ilusão onde o negro e o pobre nunca estão presentes. O racismo é uma herança maldita que ultrapassa gerações, o tempo não consegue destruir esse mal, que muitas vezes contamina até mesmo alguns negros que negam sua origem, negam sua história, tentam de forma inusitada clarear a família, achando ser essa a solução para os seus problemas e só assim serão aceitos, vivem em meios sociais onde predominam os brancos, são na verdade, em grande maioria, a inspiração para as piadas, o personagem que é exposto ao ridículo e mesmo assim se diverte com seu próprio sofrimento.

A voz da razão me dá o direito de combater fogo com fogo, me descriminem e serão discriminados, me odeiem e serão odiados, me ignore  e serão ignorados, usem de violência e serão violentados, mas por outro lado sou ser pensante, não posso me igualar a pensamentos e atitudes tão irracionais, revidar ofensas apenas por um instinto frio de vingança, gosto de desafios, por isso vou pelo lado mais difícil, A CONSCIENTIZAÇÃO.

Dudu de Morro Agudo é Web Designer, produtor, rapper e coordenador do Movimento Enraizados. 

Deixe uma resposta